Dificuldades no acesso ao crédito por PMEs

Se você é empresário já deve ter cogitado ou até tentado obter crédito para melhorar o seu negócio. Mas, atualmente a realidade mostra que essa dificuldade está diretamente vinculada ao processo atual de obtenção de crédito.

 

Olhando por diferentes ângulos

Olhando o cenário pelo pequeno empresário que precisa do crédito, é necessário que este entenda as necessidades do seu negócio para justificar a finalidade do montante solicitado, analise as opções de linhas de crédito ou financiamentos para diferentes instituições financeiras ou via agente investidor (peer-to-peer) e conheça as restrições de crédito, uma vez que bancos podem ter exigências mais rígidas enquanto fintechs podem ser mais flexíveis nas negociações.

A partir daqui, as instituições financeiras normalmente solicitam documentações sobre a empresa (principalmente o histórico financeiro) e é onde está uma das maiores reclamações das PMEs, dado que a formalização de documentações contábeis é operada de maneira informal na grande maioria dos casos ou não possui histórico suficiente por ser uma empresa nova.

Olhando agora pelo lado das instituições financeiras, não é possível tirar conclusões assertivas sobre a disponibilidade e os custos das PME usando as fontes de dados convencionais que carecem de informações como o tamanho e as características financeiras das empresas que solicitam crédito, os tipos de produtos de empréstimo que procuram, os credores a quem solicitaram crédito e quais pedidos de crédito foram indeferidos e quais foram aprovados.

Temos também o olhar da cadeia de fornecimento B2B, ou seja, o distribuidor ou indústria que fornece insumos para esse pequeno empresário. A falta de previsibilidade de risco de inadimplência ou desencaixe do fluxo de caixa, dificulta a possibilidade de negociações com prazo de pagamentos estendidos e limite de crédito.

Por estas razões, a burocracia criada faz entender o risco associado ao emprestar o valor solicitado pelo pequeno empresário. Esse grau de risco mais elevado agravado pela ausência de informações confiáveis faz com que existam também taxas de juros mais elevadas (em torno de 15% ao ano).

 

O que existe hoje?

Na tentativa de obter melhores resultados, as instituições financeiras somam as informações obtidas das PMEs que solicitaram crédito com relatórios e sistemas de pontuação para determinar a probabilidade dos potenciais tomadores de empréstimos reembolsarem seus empréstimos.

O Cadastro Positivo e o Serasa Score são exemplos de soluções da Serasa Experian. Uma vez que a PME realiza tal cadastro, se torna acessível para instituições financeiras informações dos históricos de pagamento, registros negativos da empresa e o score de acordo com as informações anteriores.

Um outro exemplo é o Sistema de Informações de Crédito do Banco Central (SCR). Esse sistema é a principal base de supervisão bancária de acompanhamento de carteiras de crédito das instituições financeiras contendo informações de crédito vencidas ou a vencer, avais e fianças.

Em todos esses exemplos estamos novamente falando de características de consumo baseadas em históricos de pagamentos que muitas PMEs podem não possuir formalização ou histórico suficiente. Para piorar, as informações não são real time (obtidas e consumidas em tempo real).

No caso do SCR, as informações são consolidadas na segunda quinzena de cada mês com dados referentes ao mês anterior.

 

As tecnologias abrem novas portas

Alguns outros fatores usados para determinar pontuação de crédito podem incluir, além do histórico de pagamentos:
• o índice de utilização de crédito;
• histórico de crédito;
• dívidas pendentes;
• índices financeiros;
• risco do setor;
• garantias e
• informações judiciais.

A obtenção desses e outros dados têm melhorado com a evolução da tecnologia e iniciativas globais. Uma das iniciativas recentemente inseridas no mercado é o Open Banking que possibilita ao cliente o compartilhamento dos seus dados e o uso deles por instituições financeiras em tempo real. Ou seja, as instituições podem ter um perfil de consumo financeiro do cliente mais completo, facilitando as decisões de concessão de crédito.

De maneira geral, o uso de automações e inteligência artificial evoluirão para melhorar e trazer benefícios como melhorar o gerenciamento de risco, agilidade na análise e até soluções como modelos para tomadas de decisões de crédito sem interferência humana.

Pensando neste contexto, a Cashu traz uma solução por meio do B2B para beneficiar o acesso ao crédito às PMEs. Trata-se da utilização de dados transacionais e modelos de machine learning para liberar efetivamente esse potencial real de compra. Seja um distribuidor, indústria ou marketplace B2B, este terá disponível uma plataforma com todas as informações necessárias de cada CNPJ, para tomada de decisão no momento da venda.

Agora que você já sabe como obter crédito para PME sem tantas burocracias, com um jeito mais simples e eficiente, deseja obter mais informações sobre este assunto? Fale conosco e vamos conversar!

 
Texto:
Michelle Melo
Rosiana Alda